Missa na Sé marca Dia Mundial das Missões

Uma missa na Catedral da Sé marcou a comemoração do 85º Dia Mundial da Missões, neste domingo (23). A celebração foi presidida pelo arcebispo de São Paulo, cardeal dom Odilo Pedro Scherer, pelo arcebispo emérito, cardeal dom Cláudio Hummes, e pelos seis bispos auxiliares da Arquidiocese.

A liturgia reuniu membros das pastorais e organismos que promovem a animação missionária da Igreja de São Paulo, religiosos e leigos missionários. Mas, neste ano, de modo particular a missa contou com a presença dos religiosos das famílias guanelliana e xaveriana, cujos fundadores, Luís Guanella e Guido Maria Conforti, respectivamente, foram canonizados pelo papa Bento 16, em Roma, também no domingo. Na ocasião, também comemorou-se os 12 anos de reabertura da rádio 9 de Julho.

Na homilia, dom Odilo reafirmou a importância da presença dos missionários na Arquidiocese e ressaltou os muitos carismas que Deus sempre suscitou no coração da Igreja. “O Espírito Santo sempre suscitou novas forças missionárias quando a Igreja estava mais precisando”, afirmou.

O cardeal também recordou que o Beato João Paulo 2º, cuja a memória litúrgica foi celebrada pela primeira vez neste sábado (22), deu um grande impulso missionário à Igreja através de suas inúmeras visitas apostólicas, “incentivando a Igreja a levar o barco de novo ao alto mar, para águas mais profundas”

O arcebispo agradeceu o empenho dos muitos que saem em missão para outros povos, e “pelos missionários que aqui, em cada Igreja local, arregaçam a mangas para evangelizar”.

Dom Odilo não deixou de lembrar a missão das famílias, que têm o papel de transmissão da fé para as novas gerações por meio de uma vida cristã, e dos muitos leigos que vão para outras terras e “levam consigo a fé”, fazendo a Igreja presente em muitos lugares.

A mensagem do papa Bento 16 para o Dia Mundial das Missões também foi destacada pelo arcebispo, na qual, entre muitos aspectos, o pontífice ressalta que todos os batizados são corresponsáveis pela obra evangelizadora da Igreja.

Dom Cláudio, recentemente nomeado presidente da Comissão para Amazônia, da CNBB, falou sobre a necessidade missionária dessa região do país. Ele afirmou que a evangelização da Amazônia é de responsabilidade de todos e que não basta apenas enviar missionários, é preciso também ajudar a sustentá-los na missão.

“Há uma grande carência de padres, religiosos, consagrados, leigos, agentes de pastoral, de recursos materiais. São Diocese, comunidades  muito pobres. É por isso que, em nome da CNBB, faço esse apelo para que nós, do Sudeste, demos a nossa contribuição e dá-la com alegria, mas também com a consciência muito clara de que a Amazônia é muito especial. Deus a fez especial”, exortou dom Cláudio.

No final da missa, dom Odilo abençoou e enviou cinco religiosos em missão. Da congregação dos Missionários Oblatos de Maria Imaculada foram enviados os diáconos Edicarlos Alves dos Santos, para a África do Sul, e Patrick Oliveira Urias, que parte para a Zâmbia.

Da congregação das Franciscanas Missionárias de Maria, duas religiosas partem para o Amazonas – irmã Amélia da Conceição da Cunha, vai para Prelazia de Tefé, e Maria Aparecida Ferreira, atuará na Arquidiocese de Manaus. Já a irmã Maria Luengo veio da Espanha e atuará na Arquidiocese de Taubaté (SP).

Neste domingo, também aconteceu na Igreja em todo país, a coleta da Campanha Missionária, promovida pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM), cujo tema foi “Missão na Ecologia”, diretamente ligado ao tema da Campanha da Fraternidade  (CF) deste ano, que falou sobre “Fraternidade e a Vida no Planeta”.