Campanha da Fraternidade 2012: Que a saúde se difunda sobre a terra

Todo ano, a Igreja do Brasil realiza durante a Quaresma a Campanha da Fraternidade. Em 2012, o tema é “Fraternidade e Saúde Pública” e o lema, “Que a saúde se difunda sobre a terra” (cf. Eclo 38,8). A abertura oficial da CF será na Quarta-feira de Cinzas, 22/02, mas as paróquias, comunidades e dioceses iniciam antes os preparativos. Na Região Belém, haverá encontro de abertura no domingo, 29/01, das 15h às 16h30, no Centro Pastoral São José (Av. Alvaro Ramos, 366, perto do metrô Belém).

O Objetivo Geral da Campanha este ano é “Refletir sobre a realidade da saúde no Brasil em vista de uma vida saudável, suscitando o espírito fraterno e comunitário das pessoas na atenção dos enfermos e mobilizar por melhoria no sistema público de saúde”. Além do objetivo geral, há seis objetivos específicos:

a) Disseminar o conceito de bem viver e sensibilizar para a prática de hábitos de vida saudável;

b) Sensibilizar as pessoas para o serviço aos enfermos, o suprimento de suas necessidades e a integração na comunidade;

c) Alertar para a importância da organização da pastoral da Saúde nas comunidades: criar onde não existe, fortalecer onde está incipiente e dinamizá-la onde ela já existe;

d) Difundir dados sobre a realidade da saúde no Brasil e seus desafios, como sua estreita relação com os aspectos sócio-culturais de nossa sociedade;

e) despertar nas comunidades a discussão sobre a realidade da saúde pública, visando à defesa do SUS e a reivindicação do seu justo financiamento; e

f) Qualificar a comunidade para acompanhar as ações da gestão pública e exigir a aplicação dos recursos públicos com transparência, especialmente na saúde.

O documento oficial da CF é o texto-base, este ano dividido em três partes e com uma conclusão apontando para o futuro. A primeira parte, intitulada “Fraternidade e Saúde Pública”, oferece um panorama atual do assunto no Brasil. Na segunda, “Que a Saúde se Difunda sobre a Terra”, há reflexão sobre a doença no Antigo e no Novo Testamento, as curas praticadas por Jesus e o chamado paradigma do cuidado, simbolizado na parábola do bom samaritano. A terceira parte oferece “Indicações para a Ação Transformadora no Mundo da Saúde”. Analisa a Pastoral da Saúde e o papel dos agentes de pastoral e apresenta também “Propostas Gerais para o SUS”.

A Conclusão mostra como, ao longo dos últimos anos, houve mudança no conceito de saúde: de ‘caridade’ para ‘direito’ e o documento termina com uma completa bibliografia sobre o tema.